Os cavalos do Central Park

No começo do mês, um cavalo prendeu a perna no eixo de um carro em uma movimentada rua de Nova York. No fim de outubro, um outro morreu nas proximidades do Central Park. Acidentes como esses acontecem com frequência, mas não conseguem afastar os turistas, que pagam até 150 dólares por 45 minutos de passeio de carruagem.

A organização que luta pela proibição do trabalho animal (Coalition to Ban Horse-Drawn Carriages) continua liderando manifestações (a última foi ontem) e colecionando a adesão de famosos. “Cavalos não devem ficar em congestionamentos urbanos, onde ficam constantemente exaustos”, disse a atriz e modelo Pamela Anderson, mais nova adepta da causa. A vida dos bichos é, sem dúvida, dura. Eles trabalham dia e noite, disputando espaço entre carros, ônibus e pedestres e só tem direito a folga quando está muito frio ou muito calor.

 

Cavalos no Central Park Os cavalos do Central Park

Carruagens do Central Park: trabalho duro para os cavalos

Anúncios