Traumas do 11 de setembro

Desde o atentado do dia 11 de setembro, milhares de pessoas desenvolveram uma doença chamada estresse pós-traumático (EPT). Entre os sintomas mais comuns estão dificuldade de dormir, de concentração e pânico a qualquer lembrança dos ataques terroristas. Pesquisas mostram que quase meio milhão de pessoas sofreram com o transtorno só em Nova York. A maioria estava no local no dia do ataque ou conhecia alguma vítima.

O EPT não é novidade e já foi identificado décadas atrás, inclusive em sobreviventes de campos de concentração. Em NY, o Governo continua gastando milhões de dólares para ajudar os doentes com atendimento e medicamentos adequados. Enquanto isso, clínicas particulares e sites de terapia online faturam alto com esses pacientes.

No mês passado, um aplicativo para celular desenvolvido pelo Centro Nacional de Saúde à Distância e Tecnologia dos Estados Unidos foi anunciado como um bom auxílio para quem tem o transtorno. Breathe2Relax (Respire para relaxar) está disponível para iPhones e Androids e promete alguns momentos de tranquilidade. A técnica não é novidade – exercícios de respiração – mas podem ser, sim, benéficas para qualquer um.

 

1 Traumas do 11 de setembro

Pedestres apontam para o World Trade Center no dia do ataque. (Reuters)

 

2 Traumas do 11 de setembro

Estresse pós-traumático: a ajuda pode estar em um aplicativo para celular (Reuters).

Anúncios